Postagens

Reflexão do Evangelho - Domingo, 21 de janeiro

Imagem
Mc 1, 14-20 – Jesus na Galileia
A incerteza da vinda do Messias levava os que tinham uma meta de paz e de justiça a se afastarem de seus sonhos e a se deixarem capturar pelo que tinham renunciado. As palavras de João Batista lhes deixavam ainda mais hesitantes, vale citar o fato de ele apontar seus erros e desmandos, de um modo que lhes parecia agressivo e desrespeitoso. Por isso, se alguns o tinham como Líder de uma nova era, outros o criticavam duramente. Fiel à sua missão, João os exortava a esperar pelo Messias, e, sem esmorecer, com uma voz vibrante e profética, proclamava: “Quem tiver duas túnicas, reparta com quem não tem. E, quem tiver alimento, faça-o da mesma maneira”. De par com os ataques dos que se sentiam incomodados, crescia a impaciência dos que esperavam a chegada do Messias. Nada, porém, o abalava. Permanecendo no horizonte da liberdade, João rejeitava tudo o que prejudicasse e atravancasse o caminho para a novidade do seguimento do Senhor. Incompreendido pelas pessoa…

Reflexão do Evangelho – Domingo, 14 de janeiro

Imagem
Jo 1,35-42 - Vocação dos primeiros discípulos
Estamos na primeira semana da vida pública de Jesus, aquela semana que se inicia com o Batismo de Jesus e se encerra com a transformação da água em vinho nas núpcias de Caná. João Batista lá estava, desde o Batismo de Jesus, às margens do rio Jordão, com dois de seus discípulos, pois sua missão não era ir ao encontro de Jesus para segui-lo. Mas vendo-o se aproximar, fixa nele seu olhar intenso e penetrante, emblépsas, como que para identificar a verdade de uma pessoa, avivando em seus discípulos a curiosidade, até mesmo certa ansiedade em ver, ouvir... seguir. Principalmente, após as palavras dirigidas por ele a Jesus: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. Para surpresa de todos, Jesus passa ao largo, “vai além”, mas os dois discípulos, André e “o outro discípulo”, desejosos de ter um encontro pessoal com Ele, seguem-no. Na escola antiga, tal atitude significava mudar de Mestre, aderir a um novo estilo de vida. Notando a pres…

Reflexão do Evangelho - Domingo, 07 de janeiro

Imagem
Mt 2, 1-12 – Epifania do Senhor




Em Jerusalém, a notícia da chegada de alguns príncipes estrangeiros, que pediam informações sobre um “rei dos judeus”, que acabara de nascer, corre veloz e os comentários se multiplicam. Para alguns, realizava-se a promessa feita a Abraão de que seus descendentes seriam como as estrelas do céu, dos quais um seria o futuro Messias (Nn 24,17). Herodes exaspera-se, enfurece-se, já havia matado dois dos seus filhos e estava prestes a matar o primogênito, Antípater, e agora surgia uma nova ameaça: alguém alheio à sua família para arrebatar-lhe o poder.
Os Magos, alheios a essas preocupações, apenas queriam saber onde devia nascer o anunciado pela estrela. Segundo os profetas, a cidade seria Belém, dizem os sacerdotes e escribas a Herodes, que, ao transmitir aos Magos, pede-lhes que enviem informações precisas sobre o local do seu nascimento. Mergulhado em pensamentos sombrios, simulando o desejo de prestar-lhe o devido culto, arquitetava como tirar a vida do …