Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2016

Reflexão do Evangelho de segunda-feira 01 de fevereiro

Reflexão do Evangelho de segunda-feira 01 de fevereiro Mc 5,1-20 – A cura do endemoninhado gadareno               Nos evangelhos, os milagres e expulsões de demônios não são vistos dentro da perspectiva de estar ou não rompendo as leis da natureza, mas como intervenções não habituais de Deus, que causam assombro ou admiração. Daí não se encontrar nos evangelhos a palavra grega “milagre” (thaumai), mas sim o fato de o povo ficar assombrado ou admirado ( thamadzein ) com as ações de Jesus, que age como Deus fizera na história de Israel. Jesus vai à Decápole, situada do outro lado do mar da Galileia, numa das cidades habitadas por gregos, sob a jurisdição da província da Síria. Logo que desceu do barco, aproxima-se dele um homem possuído pelo demônio, descrito como possuidor de grande força: “Ninguém podia dominá-lo, nem mesmo com correntes”. Porém para surpresa de todos, ao ver Jesus, “ele correu e prostrou-se diante dele, clamando em alta voz: ‘Que existe entre mim e ti,

Reflexão do Evangelho de domingo 31 de janeiro

Reflexão do Evangelho de domingo 31 de janeiro Lc 4, 21-30 - Jesus em Nazaré (2ª parte)               No Evangelho de S. Lucas, a atividade pública de Jesus começa com sua visita à sinagoga de Nazaré, onde todos estão atentos às suas palavras, pois muitos tinham ouvido falar a respeito dos seus ensinamentos e dos milagres realizados por Ele. Ao explicar um trecho do profeta Isaías (61,1-2), que acabara de ler, Ele se apresenta como o Messias, profeta dos últimos dias, que proclama o Ano de graça do Senhor. Perscrutando seus corações, Jesus percebe a incredulidade dos ouvintes, mas, desejando tocá-los e levá-los à conversão, diz-lhes que nenhum profeta é ouvido em sua terra, nem é reconhecido pelos próprios parentes. Porém, diante da rejeição à sua mensagem e à oferta de salvação, Ele assevera, para espanto deles, que os gentios demonstram mais fé em Deus do que os escolhidos de Israel. E exemplifica: Elias foi enviado a uma viúva, em Sarepta, na região da Sidônia, enquanto

Reflexão do Evangelho de sábado 30 de janeiro

Reflexão do Evangelho de sábado 30 de janeiro Mc 4,35-41 - Tempestade acalmada         Ventos e águas revoltas. No meio do lago, lá pela hora do crepúsculo, encontram-se Jesus e os discípulos numa barca, sacudida pelo vento, que fazem as ondas despencarem sobre eles. Os apóstolos, marinheiros de profissão, pressentem o perigo. Na popa, tomado pelo cansaço, Jesus dormia; a agitação das águas e o choque do barco contra as ondas não o perturbam. Apavorados, eles clamam pelo Mestre, que intrépido, de pé, coloca-se ante o vento e o mar, e grita: “Silêncio! Cala-te! ” À diferença do salmista ou de Jonas, que invocam o auxílio de Deus, Jesus age por Ele mesmo, o que suscita a exclamação dos Apóstolos: “Que homem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem? ” Três séculos mais tarde, S. Atanásio declara: “Aquele que ordenou ao mar não era uma criatura, mas sim o Criador”.        Desde o início, os cristãos leem neste milagre a figura da Igreja. A tempestade e as ondas em rebo