Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2015

Reflexão do Evangelho de domingo 01 de novembro

Reflexão do Evangelho de domingo 01 de novembro Mt 5, 1-12 - As bem-aventuranças                                      No alto de uma colina, Jesus sentou-se e como mestre pôs-se a ensinar a multidão que o acompanhava. “E nos corações dos discípulos, salienta São Leão Magno, a mão veloz do Verbo escrevia os decretos da nova Aliança”, para todos os povos. São as bem-aventuranças.   O termo grego “makários” (bem-aventurado), que corresponde a “baruk”, em hebraico, é empregado para expressar paz, felicidade, bênção. Por oito vezes, Jesus o repete para designar o ideal do verdadeiro discípulo: a serenidade no tempo presente e a felicidade eterna na visão de Deus. O desejo de Jesus é comunicar aos discípulos a paz nesta terra e, especialmente, conduzi-los à bem-aventurança perfeita do céu, já participada aqui e agora, em meio aos sofrimentos e perseguições. Nesse sentido, a bem-aventurança é definida por S. Gregório de Nissa como “a vida pura e sem mistura. Ela é o bem inefável,

Reflexão do Evangelho de sábado 31 de outubro

Reflexão do Evangelho de sábado 31 de outubro Lc 14, 1.7-11 - Escolha de lugares                              Presente num banquete, Jesus observa como os convidados escolhiam os primeiros lugares. Voltando-se, então, para os discípulos, Ele deseja despertar neles uma atitude de simplicidade e humildade, contrastando com a dos fariseus, desejosos de ocupar os primeiros lugares, pois o objetivo do Mestre é conduzir os ouvintes, destaca S. Cirilo de Alexandria, “a imitá-lo numa vida humilde, modesta e digna de louvor, e a não serem sequiosos de vanglória, como muitos demonstravam no banquete”. Traça-se, assim, uma clara distinção entre os que se colocam no seu devido lugar, os humildes, e os que, ávidos por glórias humanas, procuram afoitamente os primeiros lugares, isto é, serem mais do que na realidade são.        Para o cristão, seu poder não é poder de dominação, mas é presença acolhedora de sua vida em Deus, que tudo liberta e vivifica, na ternura e no vigor de sua mise

Reflexão do Evangelho de sexta-feira 30 de outubro

Reflexão do Evangelho de sexta-feira 30 de outubro Lc 14, 1-6 - Cura de um hidrópico        Num dia de sábado, Jesus almoça na casa de um dos chefes dos fariseus. A casa está repleta. Curiosos, todos olham para Ele com intenções pouco fraternas e amigas, buscando descobrir alguma falha ou erro para acusá-lo e denegri-lo. Ele não se sente intimidado. Sem hesitar, aproximou-se de um homem enfermo, toucou-o e o curou, provocando espanto e repúdio dos representantes do povo. Seu gesto, porém, fala mais alto que qualquer palavra, o bem é praticado e o sentido espiritual do sábado é priorizado, permitindo que os discípulos “reconheçam o sábado, lembra S. Cirilo de Alexandria, como dia do sacrifício agradável a Deus. De fato, o milagre torna-se uma oferta de suave e doce fragrância espiritual, apresentada ao Pai misericordioso, bom e pleno de amor”.        Os doutores da Lei e os fariseus percebem no que ocorreu uma oportunidade para caluniá-lo. Em sua sabedoria, Jesu