Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2019

Reflexão do Evangelho - Domingo, 01 de setembro

Imagem
Reflexão do Evangelho Domingo, 01 de setembro Lc 14, 1.7-14 - Escolha dos primeiros lugares Tendo sido convidado para um banquete, Jesus vê como os convidados, escribas e fariseus, acotovelando-se, buscavam os primeiros lugares à mesa. Diferentemente dos numerosos conselhos expressos nos Sapienciais sobre a boa conduta à mesa, Jesus procura despertar em seus discípulos uma atitude interior, válida, não só para aquele momento, mas para todas as circunstâncias da vida. Sem questioná-los, encorajando-os com as palavras: “Eu estou no meio de vós, como aquele que serve”, Jesus aproveita a ocasião para conduzir os discípulos, no dizer de S. Cirilo de Alexandria, “a um estilo de vida modesto, simples e digno de louvor”. Verdadeiro caminho para a vida... Segredo revelado no amor... Verdadeiro espaço de satisfação interior, que se realiza na amizade e na convivência fraterna. Fortalecido, o discípulo é mandado ao mundo. Deve testemunhar. A jornada de evangelização exigirá o

Reflexão do Evangelho - Domingo, 25 de agosto

Imagem
Reflexão do Evangelho Domingo, 25 de agosto Lc 13, 22-30 - A porta estreita       Em seu amor, atraindo todos à comunhão de vida com o Pai, Cristo demoliu a barreira de separação entre judeus e pagãos. Tocados pela graça, todos descobrem um panorama maravilhoso sobre a fraternidade, a liberdade, a reconciliação: tornam-se advogados da paz. A salvação é compreendida não simplesmente como salvação da alma, mas como expressão de um mundo em estado de santidade: justo, reto e verdadeiro. Em nosso próprio destino... A incansável iniciativa do Senhor nos atinge... Amor único e universal! Todos admitidos na mesma herança... Marcados por uma esperança aberta à harmonia, à justiça, à comunhão fraterna. Mas eis que, a caminho de Jerusalém, alguém pergunta a Jesus: “É pequeno o número daqueles que se salvam?”. Sim e não. Pois o importante não é saber quantos são os que entrarão no Reino de Deus; importante é decidir-se por Ele. Por isso, com autoridade, superando

Reflexão do Evangelho - Domingo, 18 de agosto

Imagem
Reflexão do Evangelho Domingo, 18 de agosto Lc 1,39-56 – Assunção de Nossa Senhora Mulher simples, generosa, atenta às moções divinas, morando numa casa modesta e humilde, assim era Maria, prometida em casamento a José, o carpinteiro. De repente, estando ela em oração, uma voz angelical a surpreende: “Ave, cheia de graça” – “ kecharitwméne ”. Em grego, a forma verbal do perfeito no passivo indica que ela é cumulada da graça divina, de modo definitivo. O temor sagrado, que invade Maria, provém menos da aparição do anjo, e mais do anúncio que ele lhe faz: “O Espírito Santo virá sobre ti e a força do Altíssimo armará sua tenda sobre ti. E é por isso que o Santo gerado de ti será chamado Filho de Deus” (Lc 1,35). Manifestação suprema da benevolência divina para com Aquela humilde jovem de Nazaré! O Espírito Santo encontra em Maria uma mente e um coração abertos para acolher Jesus. Nela se dá a humanização do Filho de Deus, a quem ela se uniu, de modo único, lev

Reflexão do Evangelho - Domingo, 04 de agosto

Imagem
Reflexão do Evangelho - Domingo, 04 de agosto Lc 12,13-21 – Ajuntar tesouros? Quais? Ao contrário de João Batista, Jesus, Profeta da salvação, anuncia a vinda do Reino de Deus, não como julgamento, mas como manifestação da misericórdia divina. Ele nos fala de um Deus próximo a nós, um Deus que é Pai, Pai bondoso e amigo, mesmo para com os pecadores. Enquanto falava, do meio da multidão, uma voz... um jovem, que Lhe pede: “Mestre, dize ao meu irmão que reparta a herança comigo”. A resposta não é imediata... Um momento... O silêncio é importante. O olhar de Jesus percorre os ouvintes... Ele deseja provocar a fé, levar seus ouvintes a se voltarem para o Pai. Suas palavras... qual voz do segredo, recomenda-lhes: “Precavei-vos cuidadosamente de todo tipo de ganância... Mesmo na abundância a vida do homem não é assegurada por seus bens” . Conta-lhes, então, a parábola de um jovem, cuja terra produziu muitos e muitos frutos. Aquele rapaz, rico, bem de vida, olha