Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2018

Reflexão do Evangelho – Domingo, 29 de abril

Imagem
Reflexão do Evangelho – Domingo, 29 de abril Jo 15, 1-8 - A verdadeira Vide             Atentos e admirados, os Apóstolos ouvem Jesus que, sem traços de legalismo, fala de uma fé que exclui todo temor. Ele extrai da vida, do dia a dia, exemplos que chegam ao coração dos ouvintes. Hoje, Ele utiliza a alegoria da videira, que para os judeus simbolizava a comunidade de Israel e sugeria a ideia de paz, de felicidade e de unidade.   É surpreendente! Para exprimir sua união com eles, Jesus não se refere à vide, mas só a um pé de uva, um simples galho. E Ele o faz para exprimir a união entre o tronco e os ramos, ou seja, entre Ele e os discípulos, tudo já neste mundo, estando a caminho para a justiça e a paz. Suas palavras, o ardor delas, sentido por eles, transmitem profunda admiração e confiante amizade, pois Deus, na Pessoa de Jesus, assume o nascimento deles para a vida divina, que é igualmente eterna.      Da videira, única e una, que é Jesus, brota a seiva, a vida, a graça

Reflexão do Evangelho – Domingo, 15 de abril

Imagem
Reflexão do Evangelho – Domingo, 15 de abril Lc 24, 35-48 - Aparição aos Apóstolos, do desconsolo à esperança.         Jesus morre. Os que não estavam dispostos a acolher a mensagem do Mestre viram sua morte como uma prova de que Ele não era Deus. Seus discípulos, desconsolados, sentem desconforto ao ouvirem as questões levantadas contra o Mestre. Alguns se afastam de Jerusalém e retornam a suas cidades de origem. Outros permanecem, como Maria Madalena, Marta, mãe de Tiago, e Salomé, suas amigas, que foram até o túmulo prestar-lhe uma homenagem.   Elas o encontram vazio. Assustadas, alvoroçadas, correm para avisar aos Apóstolos, Pedro e João, que em disparada vão até o túmulo e constatam que, de fato, ele está vazio e o sudário, que cobrira a cabeça do Mestre, estava cuidadosamente dobrado, também intacto, colocado à parte. Consternada, Maria permanecia no local, quando personagens, vestidos de branco, lhe dizem: “Mulher, por que choras? A quem procuras? ”. Ela lhes diz

Reflexão do Evangelho – Domingo, 08 de abril

Imagem
Reflexão do Evangelho – Domingo, 08 de abril Domingo da Misericórdia Jo 20, 19-31 - Aparição de Jesus ao Apóstolo Tomé Com benevolência e firmeza, o Deus revelado por Jesus conduz a História dos Homens, não de modo impessoal, mas mediante sua bondade paterna, princípio de toda realidade interior e exterior. Porém, para que o ser humano pudesse compreender e viver a grandeza de suas origens e o destino pretendido pelo Pai, o Filho, gerado no ato eterno, foi enviado à humanidade e feito nosso Irmão no seio da Virgem de Nazaré, Maria.    De uma maneira simples, direta, profundamente humana, Jesus traça uma nova história da salvação ligada ao anúncio de um mundo de justiça e de paz para toda a humanidade. Os que acolhem a sua mensagem descobrem o Nome do Criador, o Pai, que ao criar “viu que isto era bom”, e tornam-se dignos de sua bondade. Hoje, domingo da Misericórdia, tomamos consciência de que a bondade última de Deus está próxima a nós e em nós, através da ação miser