Reflexão do Evangelho de Domingo, 09 de Setembro


Reflexão do Evangelho
Domingo, 09 de setembro
Mc 7,31-37 – Luz, reflexo da glória divina (cura do surdo-mudo)


O que caracteriza a pessoa humana é sua liberdade em relação ao determinismo; é sua capacidade de superar a si mesmo, numa atitude que poderia se chamar “êxtase”. Conceito essencial que permite compreender a ação benevolente de Jesus, que, através de sua missão, procura conduzir a humanidade à sua vocação suprema: a deificação, que significa tornar-se, pela graça, uma expressão luminosa do que Deus é por natureza.
O primeiro importante momento desta elevação consiste, justamente, em tomar consciência da grandeza e da aspiração a uma plenitude de vida, que está presente em cada pessoa. Eis a primeira etapa espiritual, acessível à razão natural, pressuposta pelo Senhor ao anunciar o amor a Deus e aos seus semelhantes, caminho para o ingresso no “reino” da unidade.
Sempre compreensivo, Jesus é ternura para com as crianças, para com os doentes, para com os pecadores. Sua missão é designada por S. Paulo como filantropia ou, em latim, humanitas, amor compassivo e misericordioso. Ao sentir o calor da presença do Senhor em sua vida, S. Agostinho confessa: “Só quando abracei o Mediador entre Deus e a humanidade, o homem Jesus Cristo, adquiri a força adequada para viver em ti, ó Deus” (Conf. 7,18,24). Convertido, ele apregoa a misericórdia como o penhor mais seguro da feliz eternidade, que o iluminará em sua busca incessante da verdade e do bem.
Agora, na Decápole, em território pagão, trazem a Jesus um surdo-mudo para ser curado, fato que prenuncia a união entre os povos pagãos e os judeus, na única comunidade querida por Deus, que é também, no dizer de S. Gregório Magno, “o Deus de todas as nações, que irão escutar e falar da vinda do próprio Deus em pessoa”. Surpreendentemente, Jesus, abrasado de amor, toca os ouvidos e a língua daquele homem estrangeiro e diz-lhe: “Éffatha”, “abre-te!”. O poder do Senhor o cura da surdez física, mas, indo além, chega ao seu coração, despertando a fé.
Dom puro, totalmente grátis! Vislumbra-se um mundo novo, onde todos são iguais, não só diante de Deus, mas também na convivência humana. Jesus é a Luz, resplendor da glória divina, absolutamente incompatível com qualquer espécie de trevas! Curado, o surdo-mudo inicia o caminho para chegar, progressivamente, como os Apóstolos, à fé integral, expressa pelo termo “falar corretamente”.
Assim, iluminado em seu coração, por uma luz superior a qualquer luz criada, no cumprimento do amor e da justiça, ele se assemelha, mais e mais, a Cristo. Sua elevação é gradual. Nas palavras de Jesus: “Toma tua cruz”, ele compreende que quanto mais viva é a sua consciência do amor de Deus, mais inadequada é a sua resposta. Ato sem término e que se e que se aprofunda sempre mais. Sua confiança no amor misericordioso do Senhor o leva a abraçar a cruz e a caminhar.



+Dom Fernando Antônio Figueiredo, ofm

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexão do Evangelho - Lc 21, 5-19 - A ruína de Jerusalém e o fim dos tempos - Terça-feira 25 de Novembro e Quarta-feira 26 de Novembro