Reflexão do Evangelho - Domingo, 21 de julho


Reflexão do Evangelho
Domingo, 21 de julho
Lc 10,38-42 - A visita de Jesus à Marta e Maria
A caminho de Jerusalém, Jesus passa por Betânia, distante dois a três quilômetros da Cidade santa, e dirige-se à casa de seus amigos, Lázaro e suas irmãs Marta e Maria, para descansar e se alimentar. Até aquele momento, o Evangelho se refere aos Apóstolos e aos discípulos, como aqueles que acompanham o Mestre em sua peregrinação.
Agora, como que recordando a intimidade de Deus com os homens, evocada pelo Cântico dos Cânticos e pelos Salmos, o Evangelho apresenta um novo tipo de relacionamento: a convivência com alguns amigos, com os quais Ele permanece e que O socorrem em suas necessidades.
Uma cena familiar configura-se aos nossos olhos: Maria, numa atitude própria dos discípulos, permanece ao lado de Jesus, ouvindo-O... Sua irmã Marta, como que apressada, corre de um lado para o outro, pois, na delicadeza de uma amizade, que jamais pensa ter feito o suficiente, organiza a recepção e prepara a refeição.
Porém, vendo sua irmã, sentada, ao lado de Jesus, desabafa-se com o Senhor: “A Ti não importa que minha irmã me deixe assim sozinha a fazer o serviço?”. Sem negar o valor de suas atividades, o Mestre, com suavidade e delicadeza, salienta que sua irmã tinha escolhido a melhor parte...
Ao longe, uma recordação... A voz do Apóstolo Pedro, que, no Monte Tabor, contemplando o Senhor, exclamara: “Como é bom estarmos aqui!”.
Muitas são as reflexões sobre esta passagem. Diferentemente da maioria dos Santos Padres, que destacam o repouso contemplativo de Maria, S. Efrém não receia manifestar a sua preferência pelo amor ativo de Marta. Outro grande exegeta, Orígenes, destaca a grandeza das duas irmãs: “O segredo do amor consiste em dedicar-se, ao mesmo tempo, à contemplação, à doutrina e à ação. Pois não há ação nem contemplação válidas, uma sem a outra”.
Se tivermos a paciência de reler o texto de S. Lucas, compreenderemos que a escuta da Palavra de Deus constitui a força interior, presente nas atividades de Marta.
Ao dizer que foi Maria quem escolheu a melhor parte, Jesus deixa subentendido que também é boa a parte escolhida por Marta. Daí o conselho de S. Ambrósio: “Marta, acalma-te! Deixa-te guiar pela Palavra, pois caso não tivesses escutado a Palavra, não terias assumido o serviço”.


+Dom Fernando Antônio Figueiredo, ofm

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexão do Evangelho - Lc 21, 5-19 - A ruína de Jerusalém e o fim dos tempos - Terça-feira 25 de Novembro e Quarta-feira 26 de Novembro