Reflexão do Evangelho do dia 08 de Março de 2013


Sexta-feira – 08 de março
Mc 12, 28-34: O maior mandamento

            Jesus fala da primazia do amor, o que leva S. Agostinho a dizer que “todos os preceitos do amor são de tal natureza, que se o homem crê ter feito algo bom, mas sem caridade, ele totalmente se equivoca”. Orígenes reconhece que “amar ao Senhor não é só o maior mandamento, mas também o primeiro de todos”.
Da força do amor, proclama S. Basílio Magno, “emerge a morte às idolatrias do pecado: na ordem do ser, a morte ao orgulho, à vaidade, e, na ordem do ter, às posses materiais e honrarias”. Então, absorvido no amor, o cristão frui Deus e sente o sabor espiritual das palavras do Mestre Eckhart: “O olho com o qual eu vejo Deus e o olho com o qual Deus me vê são um só olho, um só, o mesmo”.  O amor vem de Deus e conduz a Deus. Ele nos traz Deus, que se inclina (kénosis) para tirar a criatura do nada, levando-a a participar da plenitude da vida divina. Para o cristão, Deus não atrai o homem irresistivelmente ao Uno, situado para além do Bem e do Belo supremo, no dizer de Plotino, mas ele é Amor que amando atrai. Pois o homem é chamado não só para amar, mas também para ser amado, para além da morte, até a ressurreição do Amor crucificado.
         O amor a Deus, fogo purificador e santificador, que consome todo egoísmo e impureza, se expressa no amor ao próximo. E, elevando-se acima da fé e da esperança, que passarão, faz-nos viver a caridade, melhor o ágape-eros, no amor a Deus e aos nossos semelhantes. Isso vale mais do que todos os sacrifícios e holocaustos.
Ao ouvir Jesus assegurar de que “não existe outro mandamento maior do que este: amar a Deus de todo o coração e com toda a força, e amar o próximo como a si mesmo”, o escriba confessa: “muito bem, Mestre, tens razão de dizer que ele é o único mandamento e não existe outro além dele”. “Jesus vendo que ele respondera com inteligência, disse-lhe: ‘Tu não estás longe do Reino de Deus’. E ninguém mais ousava interrogá-lo”. 
“Senhor, vosso amor ultrapassa todas as coisas. Acendei em meu coração o fogo do vosso amor e fortalecei minha fé e esperança em vossas promessas. Ajudai-me a doar-me no generoso serviço aos outros como vós generosamente vos destes a mim”.

Dom Fernando Antônio Figueiredo, OFM 

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexão do Evangelho - Lc 21, 5-19 - A ruína de Jerusalém e o fim dos tempos - Terça-feira 25 de Novembro e Quarta-feira 26 de Novembro