Reflexão do Evangelho de domingo 09 de outubro





Reflexão do Evangelho de domingo 09 de outubro
Lc 17, 11-19 - A cura dos dez leprosos


O evangelista, ao narrar que Jesus estava a caminho de Jerusalém, assinala o objetivo de sua peregrinação: a realização do seu Êxodo, sinal das promessas de Deus a respeito do povo de Israel e o cumprimento da Aliança a ser selada pelo Messias. Durante o percurso, dez hansenianos aproximam-se dele e, supreendentemente, dão-lhe o título de Mestre, utilizado unicamente pelos que pertenciam ao círculo dos discípulos. Os Santos Padres viam nestas palavras o sinal de que o mal deles não era simplesmente físico, pois eles se sentiam como “ovelhas sem pastor”; mas também não deixam de assinalar que ao atendê-los, Ele declara que a salvação é um dom gratuito oferecido a todos, sejam ou não judeus, sem mesmo exigir, previamente, um ato de fé: Jesus socorre qualquer um que lhe pede ajuda. Porém, antes mesmo de eles serem curados e purificados, Jesus, em sua ternura e bondade, os envia ao Templo para serem reintegrados na vida da comunidade. Assim, confiando na Palavra do Senhor, eles partem e vão aos sacerdotes, guias do povo judeu, “para testemunhar, no dizer de S. Cirilo de Alexandria, de modo maravilhoso e acima de suas esperanças, o fato de eles terem sido livres da sua desgraça e sido curados pelo querer de Cristo”.
Os dez hansenianos são curados. Porém, um só, por iniciativa pessoal, retorna “glorificando a Deus em alta voz”, e este era samaritano, um estrangeiro. Ao chegar junto a Jesus, “lança-se aos seus pés”, em sinal de adoração, enquanto os outros, no dizer de S. Atanásio, “pensavam muito mais na sua cura e não em quem os tinha curado”. Justamente aquele homem, que não pertencia aos filhos de Israel, voltou agradecido e, por isso mesmo, recebe muito mais do que a cura, pois o Senhor lhe diz: “Levanta-te e vai; a tua fé te curou”. Além da cura física, trata-se da salvação ou da integridade, deixando claro que a sua missão é oferecer a todos os seres humanos a salvadora comunhão com Deus.
O samaritano, consciente de sua pequenez, exprime seu reconhecimento, sua gratidão, e, ao manifestar sua fé no louvor a Deus, é purificado da mancha do erro e do pecado e recebe força e vida nova para percorrer o caminho da santidade. Para S. Atanásio, realizam-se as palavras do Apóstolo S. Paulo, que “exortou a todos dizendo: ‘glorificai a Deus em vosso coração’ (1Cor 6,20); e a recomendação de Isaías: ‘rendei glória a Deus’ (Is 42,12) ”. Realiza-se o ministério misericordioso de Jesus, aberto a todos, não só aos judeus, também aos gentios e pecadores!

Dom Fernando Antônio Figueiredo, OFM

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexão do Evangelho - Lc 21, 5-19 - A ruína de Jerusalém e o fim dos tempos - Terça-feira 25 de Novembro e Quarta-feira 26 de Novembro