Reflexão do Evangelho de Quarta-feira 09 de setembro

Reflexão do Evangelho de Quarta-feira 09 de setembro
Lc 6, 20-26 - As bem-aventuranças
                              
        Numa bela manhã de primavera, o sol inundava a planície em que se encontrava Jesus, ao seu redor os Doze, o grupo dos discípulos e o povo que Ele tanto amava. Estes se lembram de suas primeiras palavras, ditas no início de sua missão: “Convertei-vos e crede no Evangelho”. “Fixando os olhos em seus discípulos”, Ele pôs-se a ensinar, seus sentimentos transbordam inundando o coração de seus ouvintes, “onde, salienta S. Leão Magno, a mão veloz do Verbo escrevia os decretos da nova Aliança”. O mundo inteiro escuta palavras de paz e de misericórdia, que superam os antigos limites, coisas inauditas, as bem-aventuranças.
 Ele fala de Paz e os espíritos se acalmam, os pequenos e pobres, os famintos e os que choram, já têm o reino de Deus, “a vida pura e sem mistura”, proclama S. Gregório de Nissa. É o início da pregação profética, Ele anuncia e denuncia, proclama o cultivo das virtudes, a força do amor e da solidariedade, a coragem de sustentar a verdade e de viver a misericórdia. “Os mansos, escreve S. Leão Magno, possuirão a terra, numa paz perpétua, e a provação se mudará em prêmio, o ônus de outrora agora será honra”. Por outro lado, os que se opõem ao espírito serão regidos pelo egoísmo, pela dureza de coração e pelo desejo de vantagens pessoais e de autopromoção. Estes jamais compreenderão Jesus e a força de sua Palavra.

As bem-aventuranças falam da pobreza, que torna o discípulo possuidor de uma riqueza essencial, pois ele se abre para os outros, especialmente, para Deus e saúda o irmão Sol e todas as criaturas, participando do coro universal de louvores a Deus. Encorajado a deixar-se guiar pela liberdade interior, em que as paixões se calam e os movimentos da alma se transformam em caridade, o discípulo trilha o caminho que o introduz na Terra Prometida. Assim, vivendo o sermão da planície, todos, todos participam do mistério de um Deus que é total comunicação em seu Filho Jesus de Nazaré, que veio a nós em forma de perdão e misericórdia. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexão do Evangelho - Lc 21, 5-19 - A ruína de Jerusalém e o fim dos tempos - Terça-feira 25 de Novembro e Quarta-feira 26 de Novembro