Reflexão do Evangelho de quarta-feira 20 de abril



Reflexão do Evangelho de quarta-feira 20 de abril

Jo 12,44-50 - Ninguém é rejeitado





                 A palavra de Jesus não consiste em comunicar uma determinada doutrina ou um complexo de noções, mas ela é revelação do Pai. Comenta S. João Crisóstomo: “Vede, em todos os momentos, Ele se manifesta unido com Aquele que o engendrou; entre eles não existe nenhuma separação”. Daí a exclamação de Jesus: “Aquele que crê mim, não é em mim que crê, mas naquele que me enviou; e quem me vê, vê aquele que me enviou”! Neste contexto, ver significa o mesmo que crer: pode-se ver Cristo, sensivelmente, sem vê-lo, isto é, sem crer em seu coração, por causa do egoísmo, do legalismo ou, simplesmente, por pensar que se chega à santidade por suas próprias forças, independentemente da graça de Deus dada em Jesus. O próprio Evangelho de S. João, embora ressalte a Palavra, como fundamento da fé, não deixa de apresentar os milagres como motivos que levam a multidão a crer em Jesus.    

                Ao longo do Evangelho, torna-se clara a distinção entre a fé, fruto da Palavra: é o caso da samaritana que creu na palavra de Cristo, que se apresentou como um simples homem, pedindo-lhe água e que, gradativamente, através de suas palavras, irá conduzi-la à fé; e a fé, que se alimenta dos sinais: é o caso do funcionário real, a quem Jesus diz: “Se não vedes sinais e milagres vós não credes” (4,48). Aliás, esta distinção se evidencia melhor no episódio do encontro de Jesus ressuscitado com Tomé: “Porque viste, creste. Felizes os que não viram e creram! ” (20,29).

               Jesus não veio para condenar e sim para salvar; Ele é a última chance de receber a graça de Deus, pois a sua Palavra, que é Ele mesmo, é decisiva: quem a acolhe adere a Deus, mas quem não a ouve e não a observa, já tem quem o julgue: “A palavra que eu falei”. Assim, os que rejeitam a mensagem de Jesus se excluem do Reino de Deus por si mesmos, aceitando ou não a Palavra, proclamada por Ele e confiada aos seus mensageiros: “Eu vos digo: quem acolhe aquele que eu envio, é a mim que acolhe. E quem me acolhe, acolhe o Pai que me enviou”.



Dom Fernando Antônio Figueiredo, OFM

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexão do Evangelho - Lc 21, 5-19 - A ruína de Jerusalém e o fim dos tempos - Terça-feira 25 de Novembro e Quarta-feira 26 de Novembro