Reflexão do Evangelho de Jo 16, 29-33 - Jesus fala claramente aos Apóstolo - Segunda-feira 02 de Junho

Reflexão do Evangelho de Jo 16, 29-33 - Jesus fala claramente aos Apóstolo
Segunda-feira 02 de Junho
            
         Por diversas vezes, Jesus fala aos Apóstolos de sua origem divina, embora não tão claramente como na passagem de hoje, em que Ele declara que saiu do Pai e veio ao mundo. Ao ouvi-lo, eles exclamam: “Eis que a falas claramente, sem figuras! Agora vemos que sabes tudo e não tens necessidade de que alguém te interrogue. Por isto cremos que saístes de Deus”. A palavra de Jesus é clara e sem figuras ou enigmas. As imagens tornam-se supérfluas, pois se aproxima a hora da despedida. Reconfortados e alegres, os Apóstolos reconhecem no Mestre sua ciência divina e, pasmos diante de sua sabedoria, declaram: “Tu sabes tudo”. Ele é a revelação perfeita do Pai, sua presença nesta terra: “Saí do Pai, diz Ele, e vim ao mundo; de novo deixo o mundo e vou para o Pai”. Palavras de grandeza majestosa, verdadeiro compêndio do Evangelho de S. João, que atesta a presença da luz do Sol de justiça, surgindo no alvorecer da Igreja. As trevas se afastam, o mal é derrotado e já desponta a madrugada do novo dia de alegria e de paz da vitória do Crucificado.
         O intuito do Senhor é fortalecer os seus seguidores, para que não vacilem em sua fé e possam resistir a iminente tragédia que se avizinha: sua prisão, paixão e morte. Sem duvidar da sincera disposição deles, pergunta-lhes: “Credes agora? ” O “sim” dado por eles é uma semente do que irá florescer mais tarde, após a vinda do Espírito Santo. Então, eles serão imperturbáveis e demonstrarão uma fidelidade inconteste. O caminho é longo e o processo é exigente. Por isso, apesar de seus protestos de firmeza e de lealdade, o Mestre os alerta e os conforta, preparando-os para o momento de sua Paixão: “Eis que chega a hora - e ela soou - em que vos dispersareis, cada um para o seu lado e me deixareis sozinho”. Porém, movido por sua bondade, transmiti-lhes a certeza da vitória final: “Eu vos disse tais coisas para terdes paz em mim. No mundo tereis tribulações, mas tende coragem: eu venci o mundo”. A sua vitória é a deles. Escreve S. Agostinho: “Tiveram fé e venceram. Em quem, a não ser nele? Pois ele não teria vencido o mundo, se o mundo tivesse vencido seus membros”.
         Cumprem-se as profecias de que o Messias viria para instaurar a verdadeira paz e reunir na unidade os filhos de Deus dispersos, não os deixando entregues aos ataques inimigos. Os seguidores do Mestre nada têm a temer. Ele estará sempre com eles.


Dom Fernando Antônio Figueiredo, OFM

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexão do Evangelho - Lc 21, 5-19 - A ruína de Jerusalém e o fim dos tempos - Terça-feira 25 de Novembro e Quarta-feira 26 de Novembro