Reflexão do Evangelho Mt 10, 26-33 - Jesus fala claramente aos Apóstolos - Domingo 22 de Junho

Reflexão do Evangelho Mt 10, 26-33 - Jesus fala claramente aos Apóstolos
Domingo 22 de Junho

         Diversas vezes Jesus fala de sua origem divina, mas não tão claramente como no Evangelho de hoje. Ao ouvi-lo, os Apóstolos exclamam: “Agora vemos que sabes tudo e não tens necessidade de que alguém te interrogue. Por isto cremos que saíste de Deus”.  Jesus fala abertamente e não por figuras ou metáforas, que se tornam supérfluas, uma vez que se aproxima a hora de sua despedida. Reconfortados com as suas palavras, os Apóstolos reconhecem no Mestre sua ciência divina e, pasmos diante de sua sabedoria, declaram: “Tu sabes tudo”. Jesus anuncia o Reino divino, sua vinda próxima, e atribui a si mesmo uma autoridade singular, pois só participarão do Reino os que o acolherem. Neste sentido, suas palavras são claras: “Portanto, todo aquele que se declarar por mim diante dos homens, também eu me declararei por ele diante de meu Pai que está nos céus”.  
Ao longo do caminho, Jesus conversa com os seus Apóstolos. Por um instante, Ele para, olha para os Apóstolos, e declara-lhes: “Dizeis que agora credes. Eis que chega a hora – e ela soou – em que vos dispersareis, cada um para o seu lado, e me deixareis sozinho”. Jesus não quer repreendê-los, mas sim alertá-los e alimentar em seus corações a confiança no Pai: “Quanto a vós, até mesmo os vossos cabelos foram todos contados. Não tenhais medo, pois valeis mais do que muitos pardais”. O Pai não os abandonará jamais. Ao dizer que nenhum pássaro “cai em terra sem o seu consentimento”, Ele “declara expressamente que nada é desconhecido ao Pai” (S. João Crisóstomo).  
         O caminho a ser percorrido pelos discípulos é longo e exigente. Por isso, apesar de seus protestos de lealdade, o Mestre os alerta e os conforta, preparando-os para o momento de sua Paixão. Movido de bondade e compaixão, Ele lhes transmite a certeza da vitória final: “Eu vos disse tais coisas para terdes paz em mim”. A sua vitória é a deles, o que leva S. Agostinho a dizer: “Eles tiveram fé e venceram. Em quem, a não ser nele? Pois ele não teria vencido o mundo, se o mundo tivesse vencido seus membros”.
         Cumprem-se as profecias de que o Messias instauraria a verdadeira paz e reuniria na unidade os filhos de Deus dispersos, não os deixando entregues aos ataques inimigos. Os seguidores do Mestre nada têm a temer. Ele estará sempre com eles e nele eles serão filhos amados do Pai, que “se revelará aos que não lhe recusam a fé” (Sab. 1,2). A fé, é saber-se amado por Deus.


Dom Fernando Antônio Figueiredo, OFM

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexão do Evangelho - Lc 21, 5-19 - A ruína de Jerusalém e o fim dos tempos - Terça-feira 25 de Novembro e Quarta-feira 26 de Novembro