Reflexão do Evangelho de Sexta-feira – 01 de Novembro


Reflexão do Evangelho de Sexta-feira – 01 de Novembro

Lc 14, 1-6: Cura de um hidrópico

 

         É sábado e Jesus “toma uma refeição na casa de um dos chefes dos fariseus”. Há um homem enfermo. Os olhares se voltam para Jesus, com intenções pouco fraternas e amigas, pois eles alimentam, em seus corações, o desejo de descobrir falhas e erros para acusá-lo e denegri-lo. Jesus não se sente intimidado. Sem hesitar, Ele toca o enfermo e o cura, provocando surpresa e repúdio. Seu gesto fala mais alto que qualquer palavra, e é compreendido por seus discípulos, levando-os a “reconhecer o sábado, sublinha S. Cirilo de Alexandria, como dia do sacrifício agradável a Deus”. Com efeito, realizado em dia de sábado, o milagre torna-se uma oferta “de suave e doce fragrância espiritual, apresentada ao Pai misericordioso, bom e pleno de amor”.

         Os doutores da Lei percebem no fato ocorrido uma oportunidade estupenda para caluniá-lo. Mas Jesus não cede. Em sua sabedoria, Ele revela a falsidade do legalismo farisaico e aponta para a finalidade querida por Deus ao instituir o sábado, perguntando-lhes se, nesse dia, era ou não lícito fazer o bem e curar os enfermos. Eles se calam. Em lugar de se achegarem ao Senhor e acolherem os seus ensinamentos, não deixam de hostilizá-lo e parecem cada vez mais odiá-lo.

         Muitos dos autores antigos, referindo-se a este episódio, como S. Atanásio, lembram que a cura proclama o gesto salvador do Senhor, remetendo-nos à sua Ressurreição no domingo. S. Justino vê o sábado, hoje o domingo, no contexto de um “apelo à prática da santidade”. Portanto, o que Jesus acabara de fazer era o perfeito cumprimento do sábado e não a sua transgressão.

 

Dom Fernando Antônio Figueiredo, OFM

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Reflexão do Evangelho - Lc 21, 5-19 - A ruína de Jerusalém e o fim dos tempos - Terça-feira 25 de Novembro e Quarta-feira 26 de Novembro